???jsp.display-item.identifier??? https://repositorio.unipampa.edu.br/jspui/handle/riu/5432
Tipo: Dissertação
metadata.dc.title: Análise da população de bactérias ácido-láticas (BAL) vaginais em resposta à progesterona e ao estrógeno em ovelhas pré púberes
metadata.dc.title.alternative: Título em Inglês Population analysis of vaginal lactic acid bacteria (BAL) in response to progesterone and estrogen in prepubertal sheep
Autor(es): Matos, Almicar Jardim
Primeiro Orientador: Mesquita, Fernando Silveira
Coorientador: Lubeck, Irina
Resumo: A microbiota compreende os microrganismos que habitam um determinado compartimento de um organismo vivo e pode estar relacionada ao estado de saúde do hospedeiro. O ambiente vaginal, incluindo a microbiota local e o equilíbrio redox, parece estar sob a regulação das flutuações hormonais, em especial a dos esteroides ovarianos. Este trabalho teve por objetivo investigar o efeito da suplementação exógena com progesterona apenas ou progesterona seguida de benzoato de estradiol na população de bactérias acido lácticas, espécies reativas ao oxigênio e potencial antioxidante no ambiente vaginal de ovelhas pré-púberes. Dez ovelhas pré-puberes foram aleatoriamente divididas para receber ou não progesterona (P4) de longa ação via injeção intramuscular no dia zero (D0), seguido de suplementação com benzoato de estradiol (BE) no D5 para todas as fêmeas. O grupo de fêmeas que receberam ambos, P4 e BE, foi denominado Grupo PE, enquanto o grupo de fêmeas que receberam apenas estradiol foi chamado de Grupo E. No D0, D2 e D7, amostras vaginais de todos os animais foram coletadas via suabe, colocadas em solução salina, diluídas 1:10, 10-3 e 10-5 e semeadas em ágar sangue, em triplicatas. Alternativamente, amostras em solução salina estéril foram diluídas 1:10 e 10-4 e semeadas em ágar MRS (De Man e Rogosa e Sharpe) pelo método pour plate, em triplicatas. Três meses depois, o mesmo experimento foi repetido nos mesmos animais para a coleta de lavado vaginal. No D0, D2 e D7 todos animais foram coletados via lavado vaginal, por meio de infusão de 5 ml de solução salina estéril no fórnix vaginal, seguida de recuperação em tubo estéril, e armazenamento a -20oC. O lavado vaginal foi avaliado para a produção de ROS e potencial antioxidante. Os dados foram analisados por análise de variância de amostras repetidas no tempo, considerando os efeitos de tratamento (Grupos E e PE), dia (D0, D2, D7) e sua interação. Não foi detectado efeito de tratamento para nenhuma das variáveis analisadas. O dia, altamente influenciado pelo efeito do tratamento com BE no D5, induziu um aumento das UFCs de BAL e potencial antioxidante das células vaginais e a uma redução na produção de ROS pelas células e lavado vaginal. Observou-se também um enriquecimento de colônias de lactobacillus ao longo do tempo. Conclui-se que o estrógeno favorece o crescimento da população vaginal das bactérias acido lácticas e o estabelecimento de um ambiente vaginal mais antioxidante que parece estar correlacionado a uma mudança qualitativa da microbiota vaginal favorecendo o estabelecimento de lactobacillus.
Abstract: The microbiota comprehends the microrganisms that inhabit a given body compartment of a live organismo and may be related to the state of health of the host. The vaginal environment, including the local microbiota and the redox equilibrium, seems to be under the regulation of hormonal fluctuations, particularly that of ovarian steroids. This study aimed to investigate the effect of progesterone alone or progesterone followed by estradiol benzoate exogenous supplementation on the lactic acid population, reactive oxygen species production and antioxidant potential in the vaginal environment of prepubertal ewe lambs. Ten prepubertal ewe lambs were randomly divided to receive or not an intramuscular injection of a long- acting progesterone on day zero (D0), followed by an injection of estradiol benzoate (EB) on D5 to all ten females. The female group receiving both P4 and EB was called PE group, whereas the female group receiving only EB was called E group. On D0, D2 and D7 vaginal samples from all animals were collected by swab into a sterile saline solution, diluted 1:10, 10-3 e 10-5 and seeded on blood agar, in triplicates; alternatively, samples in saline were diluted 1:10 and 10-4 and seeded on MRS agar (De Man, Rogosa and Sharpe) by the pour plate method, in triplicates. Three months later, the experiment was repeated with the same animals aiming to collect vaginal washings. ON D0, D2 and D7 all the animals were sampled by infusing 5 ml of sterile saline in to the vagina fornix, followed by solution recovery into a sterile tube and storage at -20oC. Vaginal washings were assessed for ROS production and antioxidant potential. The data were analyzed by repeated measures analysis of variance, considering the effects of treatment (E and PE), day (D0, D2, D7) and their interaction. No effect of treatment was detected for the assessed variables. The effect of day, highly influenced by the EB treatment effect on D5, induced an increase on the CFU of vaginal BALs and antioxidant potential of vaginal cells, and a reduction of ROS production in vaginal cells and vaginal washings. An enrichment of lactobacillus colonies over time was also observed. In conclusion, estrogen favors the growth of vaginal lactic acid bacteria and the establishment of a more antioxidant vaginal environment, which seems to be related to the observed shift of the microbiota favoring the establishment of lactobacillus.
metadata.dc.subject: Antioxidante
Benzoato de estradiol
Espécies reativas ao oxigênio
Lactobacillus
Microbiota vaginal
Ovinos
Antioxidante
Estadiol benzoate
Lactobacillus
Reactive oxygen species
Sheep
Vaginal microbiota
CNPQ: CNPQ::CIENCIAS AGRARIAS
Idioma: por
metadata.dc.publisher.country: Brasil
metadata.dc.publisher: Universidade Federal do Pampa
Sigla da Instituição: UNIPAMPA
Campus: Campus Uruguaiana
Curso: Mestrado Acadêmico em Ciência Animal
metadata.dc.identifier.citation: MATOS, Almícar Jardim. Análise da população de bactérias ácido-láticas (BAL) vaginais em resposta à progesterona e ao estrógeno em ovelhas pré púberes, 66 p. Dissertação (Mestrado em Ciência Animal) – Universidade Federal do Pampa, Campus Uruguaiana, Uruguaiana, 2020.
Tipo de acesso: Acesso Aberto
metadata.dc.identifier.uri: http://dspace.unipampa.edu.br:8080/jspui/handle/riu/5432
metadata.dc.date.issued: 2020
???org.dspace.app.webui.jsptag.ItemTag.appears???Mestrado e Doutorado em Ciência Animal

???org.dspace.app.webui.jsptag.ItemTag.files???
???org.dspace.app.webui.jsptag.ItemTag.file??? ???org.dspace.app.webui.jsptag.ItemTag.description??? ???org.dspace.app.webui.jsptag.ItemTag.filesize??????org.dspace.app.webui.jsptag.ItemTag.fileformat??? 
AMILCAR JARDIM MATOS.pdf1.23 MBAdobe PDF???org.dspace.app.webui.jsptag.ItemTag.view???


???jsp.display-item.copyright???