Please use this identifier to cite or link to this item: http://dspace.unipampa.edu.br:8080/jspui/handle/riu/2283
metadata.dc.type: Trabalho de Conclusão de Curso
Title: Experimentação no ensino de química: uma análise dos artigos publicados em revistas da área
metadata.dc.creator: Machado, Bianca Larrea
metadata.dc.contributor.advisor1: Pazinato, Maurícius Selvero
metadata.dc.contributor.referee1: Saudati, Jéssie Haigert
metadata.dc.contributor.referee2: Luz, Fernando Albuquerque
metadata.dc.description.resumo: A experimentação é considerada uma ferramenta pedagógica no ensino de química, pois pode facilitar a compreensão dos conteúdos e despertar a curiosidade, contribuindo para a aprendizagem dos alunos. Esta pesquisa tem por finalidade avaliar os trabalhos publicados em revistas da área do ensino de química, com enfoque na utilização de atividades experimentais, buscando respostas à questão: As atividades experimentais, propostas em artigos publicados em revistas da área de ensino de química, contribuem para o desenvolvimento cognitivo dos estudantes? Para isso, baseou-se na teoria de Vygotsky para esclarecer se a utilização desse recurso pedagógico no ensino de Química contribui para a aprendizagem escolar. A metodologia utilizada para a exploração dos dados é do tipo qualitativa, priorizando a análise documental. Foram elencadas cinco revistas para análise avaliadas com Qualis A1, A2 e B1 na área de ensino. O período da busca dos artigos foi de 1995 a 2015 e a seleção ocorreu por meio da localização das seguintes expressões: experimentação, experimentações, experimento(s), experiência(s) e atividades experimentais no resumo, título ou palavras chave das publicações. A análise dos dados ocorreu por meio da categorização dos artigos em: localidade, nível de ensino, situação da atividade experimental, interação entre os sujeitos, tipo de atividade experimental, materiais utilizados e objetivos contemplados na experimentação. Percebeu-se que as atividades contidas nos artigos estão de acordo com as condições das escolas, pois aproximadamente 50% delas utilizam materiais alternativos, o que facilita a reprodução pelo professor. Também se observou que os objetivos contemplados na maior parte das experimentações foram: auxiliar os estudantes no desenvolvimento da capacidade de observação e análise de dados. Além disso, utilizou-se a teoria de Vygotsky como suporte teórico em relação à interatividade social. A partir desta análise, foi feito um estudo a respeito das propostas de atividades experimentais que oportunizam situações que motivem os estudantes a expor suas ideias, comparando-as com a explicação dada pelo professor, bem como momentos de interação entre os sujeitos. Identificou-se que 59% dos experimentos descritos pelos artigos não favorecem a interação entre os estudantes e entre esses e o professor. Boa parte das experimentações (31%) é do tipo demonstrativa, enquanto que as atividades investigativas e de verificação somaram 26% cada. Atividades demonstrativas podem não favorecer a interação entre os sujeitos, visto que ela é executada pelo professor enquanto os alunos apenas observam o experimento. Esse tipo de atividade possivelmente não contribui de forma tão eficaz na aprendizagem dos alunos, visto que não favorece a troca de conhecimento e informação entre eles. Entretanto, atividades investigativas ou de verificação proporcionam momentos de interação, em que os alunos têm a oportunidade de realizar o experimento em grupos. Desta forma, conclui-se que o professor é o agente capaz de estabelecer situações que envolvam o aluno no processo de ensino e aprendizagem. Neste contexto, as atividades experimentais surgem como uma interessante alternativa didática para favorecer a aprendizagem por meio da aplicação dos conceitos de química e da interação em sala de aula.
Abstract: The experimentation is considered a pedagogical tool in the Chemistry teaching, as it can facilitate the understanding of the contents and awaken the curiosity, it contribute to the students’ learning. This research aims to assess the works published in journals of chemistry education, focusing on the use of experimental activities, seeking answers to the question: “experimental activities, proposals in articles published in the chemistry teaching field magazines, contribute to the cognitive development of the students?” For that based on the theory of Vygotsky to clarify if the use of this educational resource in the chemistry teaching contributes to scholar learning. The methodology used for the exploitation of the data is qualitative type, it prioritizing the documentary analysis. For it was listed five magazines for analysis evaluated with Qualis A1, A2 and B1 in the education area. The articles search period extended from 1995 to 2015 and the selection took place through the location of the following expressions: experimentation, trials, experiment(s), experience(s) and experimental activities in the summary, title or the publications keywords. Data analysis occurred through the categorization of articles in: location, level of education, experimental activity situation, interaction between the subjects, experimental activity type, materials used and objectives included in the trial. It was noticed that the activities contained in articles are in accordance with the schools conditions, because approximately 50% of them use alternative materials, which makes reproduction by professor. Also noted that the objectives referred to in most of the trials were: assist students in the development of the ability of observation and analysis of data. In addition, the theory of Vygotsky as theoretical support in relation to the social interactivity. From this analysis, this study regarding the proposals for experimental activities that create opportunities that motivate students to exhibit their ideas, comparing them with the explanation given by professor, as well as moments of interaction between the subject. Identified that 59% of the experiments described by articles do not favor the interaction among students and between these and the professor. Most of the trials (31%) is the demonstrative type, while the investigative and verification activities totaled 26% each. Demonstration activities may not favour the interaction among the subjects, since it is performed by professor while students only observe the experiment. This kind of activity might not contribute as effectively in learning of students, since it does not favor the exchange of knowledge and information among them. However, investigative or verification activities provide moments of interaction, in which students have the opportunity to perform the experiment in groups. Thus, it is concluded that the professor is agent able to establish situations involving the student in the process of teaching and learning. In this context, experimental activities emerge as an interesting alternative didactics to promote learning through Chemistry concepts application and the classroom interaction.
Keywords: Ensino de química
Experimentação
Interação social
Chemistry education
Experimentation
Social interaction
metadata.dc.subject.cnpq: CNPQ::CIENCIAS EXATAS E DA TERRA
metadata.dc.language: por
metadata.dc.publisher.country: Brasil
Publisher: Universidade Federal do Pampa
metadata.dc.publisher.initials: UNIPAMPA
metadata.dc.publisher.department: Campus Dom Pedrito
Citation: MACHADO, Bianca. Experimentação no ensino de Química: uma análise dos artigos publicados em revistas da área. 2016. 47 f. Trabalho de Conclusão de Curso (Licenciatura em Ciências da Natureza) – Universidade Federal do Pampa, Dom Pedrito, RS.
metadata.dc.rights: Acesso Aberto
URI: http://dspace.unipampa.edu.br:8080/jspui/handle/riu/2283
Issue Date: 29-Jun-2016
Appears in Collections:Licenciatura em Ciências da Natureza

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
BIANCA LARREA MACHADO.pdf394,52 kBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.