Please use this identifier to cite or link to this item: http://dspace.unipampa.edu.br:8080/jspui/handle/riu/1712
metadata.dc.type: Trabalho de Conclusão de Curso
Title: Estabilização de solos lateríticos: uma alternativa para os resíduos de cinza da casca de arroz
metadata.dc.creator: Leon, Helena Batista
metadata.dc.contributor.advisor1: Budny, Jaelson
metadata.dc.description.resumo: Obras rodoviárias envolvem grandes quantidades de materiais e movimentações de terra que poderiam ser evitadas com o melhor aproveitamento do material do próprio local de construção da rodovia. Visando um melhor conhecimento e utilização de solos lateríticos, predominantes no Brasil, o estudo objetivou caracterizar e melhorar as propriedades de um solo laterítico de uma jazida localizada no sul do Brasil, através da utilização de cinza da casca de arroz, buscando a sua aplicação em camadas de base e sub-base de pavimentos. Os materiais utilizados no desenvolvimento do estudo foram: um latossolo roxo, de uma jazida localizada na cidade de Cândido Godói – RS; Cal hidratada de classe CH-II Dolomítica; Cinza de casca de arroz (CCA) e água destilada. Foram realizados ensaios de caracterização dos materiais, ensaio Físico-químico proposto por Casanova para a determinação das dosagens e ensaios de compactação Mini-Proctor para a determinação da massa específica e umidade ótima de moldagem. Foram moldados corpos de prova de solo, solo+cal, solo+cal+CCA e solo+CCA em cilindros de dimensões 5 x 10 cm que permaneceram em cura em ambiente com temperatura controlada durante 7, 28 e 56 dias. A resistência dos corpos de prova foi verificada a partir do ensaio de Compressão Simples. O solo foi classificado como argiloso laterítico pela classificação MCT, pertencendo aos grupos MH da Classificação Unificada e A 7-5 da Classificação Rodoviária. As proporções: 94% de solo e 6% de cal e 94% de solo, 2,4% de cal, 3,6% de CCA foram as alternativas recomendadas pelo ensaio Físico-químico para a estabilização das amostras em análise. Embora não houvesse substancial ganho de resistência nas misturas propostas, para todos os tempos de cura, as adições de cal e cal combinada com CCA elevaram, consideravelmente, o modulo de elasticidade do solo natural. Fato este que se configura como o maior ganho deste estudo, pois a partir do aumento de rigidez evidenciado, pode-se supor que as deformações na camada final de revestimento serão reduzidas. Conclui-se que as propriedades do solo foram realmente melhoradas para todas as misturas, exceto Solo+CCA, pois tais dosagens conferiram uma maior rigidez ao material. Além disso, embora a média das resistências do solo natural seja superior, algumas amostras de solo+cal e solo+cal+CCA estão na mesma faixa de resistência devido a dispersão dos resultados.
Abstract: Highway constructions involve large amounts of materials and earthworks that it could be avoided with a better use of residual material from the same place of the highway construction. In order to better understand and use the lateritic soils, which are the predominant soils in Brazil, this study aimed to characterize and improve the properties of a laterite soil from a deposit located in southern Brazil, through the addition of rice husk ash, seeking its application in base and sub-base layers of pavements. The materials used in the development of the study were: a latosol from a deposit located in Cândido Godoi - RS; Hydrated lime dolomitic class CH-II; Rice husk ash (RHA) and distilled water. The materials were subjected to characterization tests, Physical-chemical test proposed by Casanova to determinate the dosages, and Mini-Proctor compaction tests to determine the density and optimum moisture molding. It was cast specimens of soil, soil+lime, soil+lime+RHA, and soil+RHA in cylinders with dimensions of 5 x 10 cm that remained healing, in a place with controlled temperature, during 7, 28, and 56 days. The resistance of the specimens was verified by the compression test. The soil was classified as a lateritic clay by the MCT methodology, a MH material by the Unified Soil Classification System, and an A 7-5 by the AASHTO Soil Classification System. The proportion of 94% of soil and 6% of lime, and 94% of soil, 2.4% of lime, and 3.6% of RHA were the recommended alternatives to stabilize the analyzed samples. Although there was no substantial gain in strength in the proposed mixtures for all curing times, the additions of lime and lime combined with RHA considerably increased the soil modulus of elasticity. This fact appears as the biggest gain of this study because as rigidity increases, it can be assumed that the deflections in the final layer will be reduced. It can be concluded that the soil properties were really improved for all mixes, except for the mixture of soil+RHA, because such dosages conferred greater rigidity to the material. Furthermore, although the average of the resistances of the natural soil are higher, some samples of soil+lime and soil+lime+RHA are in the same resistance range because of the dispersion of the results.
Keywords: Civil engineering
Soil stabilization
Lateritic soils
Rice husk ash
Publisher: Universidade Federal do Pampa
metadata.dc.rights: Attribution-NonCommercial-NoDerivs 3.0 Brazil
metadata.dc.rights.uri: http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/3.0/br/
URI: http://hdl.handle.net/riu/1712
Issue Date: 30-Nov-2015
Appears in Collections:Engenharia Civil



This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons